Início 9 Pontos de vista

Pontos de vista

Qualquer semelhança não é mera coincidência: os camisas neons

A História, em sua dinâmica, é permeada por fenômenos “neovelhos”. Antes de serem uma contradição, são resultados das condições históricas de cada período (sociais, econômicas, culturais e tecnológicas). Em que pese as diferenças, as semelhanças já são assustadoramente grandes para compreender a motivação e a ação de grupos de haters, trolls e milícias digitais em analogia àquelas das milícias políticas fascistas do início do século XX. A disseminação de mentiras, o amedrontamento e a agressão tampouco são ferramentas novas na política. A força de sua presença na esfera pública, entretanto,...

ler mais

Uma ‘checagem de fatos’ exclusiva para o Dia dos Pais

“Amor, li umas coisas muito bacanas sobre a pedagogia Waldorf. Vamos conversar sobre essa possibilidade de escola para Inácio?”. “Meu bem, marquei pediatra de Luizinho para a próxima sexta. Você consegue dar uma escapadinha e ir conosco?”. Feche os olhos e...melhor, abra-os, arregale-os, esbugalhe-os e me conta aqui: foi um pai ou uma mãe que disse essas frases? Se mesmo depois de ter caçado confusão no Ponto de Vista sobre o Dia da Mães continuei seguindo minha vidinha digital protegida pelo manto adamascado de Nossa Senhora do Cancelamento, me atrevi agora a apagar as velas e soltar as...

ler mais

Memes banalizam mudanças climáticas e amplificam negacionismo

A mudança climática está mais presente do que nunca. À medida que as ondas de calor se tornam mais comuns, mais intensas e mais letais, a mudança climática parece ser mais real. O negacionismo climático, porém, limita ações contra essa crise.  Esse negacionismo não é um fenômeno novo, mas com os eventos climáticos extremos passaram a figurar mais comumente nas redes sociais e nas rodas de conversas. Por exemplo, os catastróficos incêndios florestais na Austrália em 2019 e 2020 e as inundações de 2022 foram fontes de discursos conspiracionistas e desinformação, assim como as eleições...

ler mais

A nova/velha tática de reprimir o jornalismo

Não há nada de novo em usar ações judiciais para silenciar e punir profissionais de mídia e empresas de mídia. O que é novo é o armamento de tais ações. A escalada da violência contra jornalistas em países latino-americanos pode ser sem precedentes. Nem mesmo durante regimes ditatoriais vimos tantos ataques e tão coordenados. E o pior: com a aceitação, conivência e até participação do público. Mas talvez o pior nem seja isso; talvez o pior seja que não estamos falando de regimes autoritários (pelo menos não oficialmente) na maioria dos casos. Estamos falando de democracias. A América Latina...

ler mais

Diga-me qual fake news compartilhas e eu te direi quem és

Recentemente, uma fake news sobre refugiados ganhou a atenção de europeus nas redes sociais. A manchete fictícia trazia os dizeres: “Nações Unidas alertam sobre movimento massivo de refugiados da África: 500 milhões de pessoas estão a caminho da Europa”. O suposto screenshot da notícia ganhou notoriedade por também usar a logo do New York Post e circulou no Facebook e no Twitter, até que foi confirmado falso. A repercussão da matéria, no entanto, chama a atenção porque demonstra o poder do desconhecimento e do medo no momento decisório sobre compartilhar ou não um conteúdo falso. Estudos...

ler mais

A internet do futuro precisa brotar daqui (também)

Uma agenda do futuro da internet e das redes sociais precisa ter nossa cor, nossa cultura e nossas demandas. A gente já sabe disso, mas a vinda da engenheira e cientista de dados Frances Haugen ao Brasil, na última semana, teve um simbolismo enorme do fracasso deste modelo branco do Vale do Silício do Norte global que não contempla com respeito e segurança o resto do mundo. Suas denúncias estampadas pelo Wall Street Journal e depois em centenas de jornais mundo afora, nada mais são que a comprovação de um poder que existe porque precisa de cidadãos de segunda classe, como o Sleeping Giants...

ler mais

Na terra dos algoritmos, vemos ilusões ou horrores?

Sabe aquelas coisas surreais que, quando acontecem, você para e olha “o que é isso, um filme?” bem no estilo do meme da boca rosa? Ok, eu sei que  os últimos acontecimentos no Brasil (nos últimos, sei lá, quatro anos) nos obrigam a fazer essa pergunta diariamente, mas às vezes penso que nem o melhor dos roteiristas de distopia poderia criar narrativas tão assustadoras. Até Atwood tem ficado para trás com o show de horror da atualidade. O ponto de vista de hoje não é, no entanto, especificamente sobre as histórias lamentáveis e os sucessivos ataques às mulheres e ao corpo feminino que vimos...

ler mais

Novas eleições e pandemias, velhas fake news: a reciclagem da mentira

Nas últimas décadas, uma revolução mudou drasticamente a maneira como as pessoas se informam, afastando-as da informação selecionada através dos jornais e da televisão em direção ao ambiente das informações compartilhadas por meio das redes sociais. O ambiente digital deu espaço para que informações falsas se espalhassem rapidamente, fazendo com que narrativas da conspiração sobre vacinas, Covid-19 e eleições se popularizem. Isso gerou uma preocupação geral com a exposição a informações consumidas através de redes sociais, já que existe uma exacerbada quantidade de fakes news e teorias da...

ler mais

Não podemos nos calar

Hoje não podemos deixar de falar sobre o aterrador desaparecimento do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira no Vale do Javari, na Amazônia brasileira. Apesar de o presidente da República se referir ao caso lembrando que “dezenas de milhares de pessoas desaparecem por ano no Brasil”, esses não são “só” dois desaparecimentos entre milhares, como se a sentença já não fosse, no mínimo, insensível.  É o retrato fiel da degradada realidade em que vivemos. Um país em que os defensores de direitos humanos têm um alvo nas costas. Lembremos de Chico Mendes, Dorothy Mae Stang e...

ler mais

Indústria das fake news é lucrativa e complexa

Atualmente os termos fake news e desinformação estão cada vez mais populares e em pauta nos sites de notícias. Fake news podem ser uma notícia ou um rumor criado com o foco de chamar atenção, para prejudicar a reputação de uma pessoa ou organização. Tendem a se propagar facilmente pois muitas vezes possuem conteúdos sensacionalistas.  Diversas questões sobre as fake news chamam a atenção da comunidade científica: Quais são suas origens? Elas ocorrem de forma espontânea? São criadas com algum propósito? Tentando responder algumas dessas questões, estudos mostraram que sua disseminação está...

ler mais

Sorria, você faz parte de um experimento comportamental

Quando as redes sociais surgiram, elas eram um pouco diferentes do que são hoje. Conectavam as pessoas, mas ofereciam as informações de acordo com alguns critérios meio óbvios: o que seus amigos ou pessoas conectadas publicaram, ordem cronológica etc. Para quem vinha do Orkut (saudades?), a ideia de uma timeline sem fim já era assustadora o suficiente para chocar. Pouco mais de uma década depois, parecem exercício de escolinha de criança. Aos poucos, fomos ingressando em um experimento comportamental de longo prazo do qual todos nós somos parte. Quanto mais dados elas coletam sobre você,...

ler mais

A omissão das plataformas na desinformação escondida nos comentários

As plataformas de redes sociais criam recursos para engajar e fidelizar seus usuários. Um desses recursos são os comentários, presentes em quase todas as plataformas. Nesses espaços, os usuários compartilham seus pensamentos, objeções, felicitações ao conteúdo a que foram expostos, assim como podem reagir a comentários anteriores. O problema é que os comentários acabaram se tornando também ambientes propícios para o compartilhamento de desinformação, informação incorreta, rumores ou teorias da conspiração. Este cenário tende a gerar dúvidas nas pessoas que engajam com esse conteúdo, podendo...

ler mais

Avanços e desafios nos 10 anos da Lei de Acesso à Informação

Práticas jornalísticas como a checagem de fatos e o jornalismo de dados foram conquistando cada vez mais espaço no ecossistema midiático na última década, com destaque a partir de 2020, quando a pandemia de Covid-19 exigiu ainda mais produção jornalística com base em dados confiáveis para diferenciar conteúdos enganosos de informação qualificada. A disponibilidade pública e a qualidade de dados governamentais são elementos cruciais para o processo de apuração jornalística, particularmente em reportagens sobre assuntos para os quais o papel do Estado é central — como o combate à pandemia e...

ler mais

Bots ‘do bem’, bots ‘do mal’ e a importância da regulação

Com a popularização da inteligência artificial (IA), os robôs que eram apenas ficção nos cinemas ou em desenhos animados, como os Jetsons, se tornaram realidade. Diferente do que era retratado no imaginário da maioria das pessoas, os robôs presentes nas redes sociais não são humanoides. Mas afinal, o que são eles? Eles são bons ou ruins?  Popularizados através  da palavra bot, que é um recorte da palavra robot (robô, em inglês), eles não são seres pensantes capazes de fazer tarefas do dia a dia, como limpar a casa sem ordens dos chefes como a robô Rosie dos Jetsons (ainda que  robôs...

ler mais

A esperada treta do Dia das Mães

Não existe data comemorativa em nosso calendário que me irrite mais que o Dia das Mães. Eu sou mãe, mãe de humano. E olha aí o gancho para uma treta que, Nossa Senhora do Cancelamento me proteja, mas eu vou entrar sim. A maternidade é assunto que vem carregadinho de estereótipos, julgamentos e muita, muita desinformação. Quando eu penso na desinformação no universo da maternidade eu sempre penso que ela pode ser teórica (eu já mencionei em outros textos desta seção Ponto de Vista sobre parto e aleitamento) ou pode ser fruto de uma romantização exarcebada que cerca o tema. Eu gostaria que,...

ler mais

A dualidade da Inteligência Artificial no combate às fake news

A Inteligência Artificial (IA) está ubíqua em nossa sociedade. Sistemas de IA compõem desde sistemas simples, como eletrodomésticos, até avançados sistemas de diagnósticos médicos. Recentemente, o pesquisador Andrew Ng, um dos grandes nomes da área de inteligência artificial e aprendizado de máquina, relacionou a amplitude dos impactos da IA às mudanças observadas com o advento da energia elétrica há mais de 100 anos. Em suma, as transformações em nosso modo de vida e em nossa sociedade estão sendo e serão fortemente impactadas por sistemas de IA. Alguns exemplos cotidianos de IA que podem...

ler mais

Redes de mão dupla, democracia e o primeiro voto da Nina

Uma das narrativas falsas que ameaça nossa democracia é aquela de que nenhum político presta e que de nada adianta votar porque ´é tudo farinha do mesmo saco´. Esta desinformação que procurou esvaziar e polarizar o debate cívico atingiu em cheio o público jovem, especialmente aqueles entre 16 e 18 anos, que estão aptos, mas não são obrigados a votar. Afinal, com tantos escândalos, fake news rolando solta nas redes, economia em frangalhos impactando as famílias, pandemia e ainda o Enem pela frente, pra que raios tirar o título de eleitor? Qual a prioridade das eleições nas vidas dessas jovens...

ler mais

Moïse Kabagambe e o racismo invisibilizado nas redes

O caso do brutal assassinato do congolês Moïse Kabagambe, ocorrido em fevereiro de 2022 e que chocou o Brasil, chamou mais uma vez atenção para um dos maiores e mais longevos problemas da sociedade brasileira: o racismo. Episódios violentos contra pessoas negras acontecem todos os dias nos mais diversos cantos do Brasil, mas apenas de tempos em tempos eles ganham o noticiário e a atenção pública. Mais especificamente na internet, o racismo tem assumido configurações cada vez mais diversas. O digital, com suas características e nuances, (re)configura os mais diversos fenômenos sociais. O...

ler mais

Publicidade ou fake news? Um olhar sobre a saúde

O termo fake news é bastante recente, o que não significa dizer que o fenômeno o seja. Pelo contrário, sua existência traspassa as sociedades humanas há tanto tempo que se perde a perspectiva de suas raízes. E o conceito, que hoje foi criado para discriminar notícias ou informações falsas sobre fatos ou personagens, pode certamente ter sua perspectiva ampliada para outros setores da nossa vida cotidiana: a saúde, a nutrição, a educação, e muitas outras. Nestes casos, na maioria das vezes, se prestou a vender produtos, sugerindo atributos a estes que seriam benéficos sem sê-los. O objetivo,...

ler mais

Você tem fome de quê? A (des)informação na prateleira do mercado

Dos deuses. Muitíssimo provavelmente essa é a primeira associação que você faz ao ouvir a palavra néctar. Está no dicionário, o grandão, em papel, quase duas mil páginas, aquele confiável: néctar, na Grécia antiga, bebida dos deuses do Olimpo que, segundo a lenda, eternizava a vida. Corta para a prateleira do supermercado. Você vê uma lata ou uma caixa com a foto de uma fruta com gotas de orvalho ou de chuva, e está lá “néctar de manga”. Muitas vezes junto com informações do tipo “rico em vitaminas e sais minerais”. Você associa a algo gostoso e saudável. Balela. Néctar de fruta é uma...

ler mais

Shadowban, a censura ´de leve´ que está codificando a conversa no Instagram

Ser social media - ou qualquer usuário que tenha interesse em engajamento ou métricas - pode ser frustrante. A gente já sabe o quanto o algoritmo pode ser uma roleta russa e sabemos também das muitas variáveis que podem fazer o seu post bombar ou não. Quem nunca escolheu o melhor horário para postar ou então se preocupou com as palavras e emojis certos na legenda para gerar aquele engajamento? Mas imagine que você está fazendo tudo certo de acordo com o que mandam os gurus do marketing e, do nada,  ninguém mais curte ou vê suas publicações - pode ser que você tenha sofrido o que chamam de...

ler mais

Há um ano, Austrália obrigava Facebook e Google a pagarem por conteúdo noticioso. O que o Brasil pode aprender com esse modelo?

No dia 25 de fevereiro, o código de negociação de mídia da Austrália fez um ano. Essa é a primeira regulação a obrigar Meta e Alphabet, donas de Facebook e Google, respectivamente, a pagarem por acordos individuais ou coletivos pelo uso de conteúdo noticioso em suas plataformas e serviços. A premissa da lei é simples, caso não haja um acordo entre as empresas de tecnologia e os veículos de mídia, um painel independente arbitra entre uma proposta de cada parte. Esse modelo não foi necessário, já que os acordos foram fechados entre as partes. As plataformas também devem fornecer transparência...

ler mais

Consumir conteúdo em velocidade mais rápida pode desinformar?

Celebrada por uns, condenada por outros -- pelo menos em público, porque se os smartphones falassem... –, a moda se aboletou confortavelmente nas telas e delas não sairá. Áudios e vídeos podem ser degustados em sua velocidade normal, em opções mais rápidas ou mais lentas. Sobre essa última não vale gastar muitas linhas: fazem a alegria de quem precisa transcrever textos, mas não são propriamente campeãs de audiência. O troféu vai, é claro, para as playback speeds de 1.25, 1.5, 1.75 e até 2 vezes a velocidade normal, o que transforma qualquer voz em potencial dubladora de Alvin e os Esquilos....

ler mais

O cinema de golpistas e o conforto de estar mal informado

Pensa bem você aí, dois anos de pandemia: medo de pegar a doença, medo de transmitir a doença, medo de evoluir para um quadro grave, morre gente próxima a você, atividades diversas retornando e a escola de sua criança adiando o início das aulas presenciais, você desmarca aquele encontro do Tinder porque ficou com preguiça de faxinar a casa e sem grana para fazer um PCR. Você acorda hoje, mais uma segunda-feira de carnaval sem carnaval, você liga sua JBL no último volume e da play num Araketu, emenda numa Timbalada e, mais devastado que Lady Gaga cancelando sua participação no Rock n´Rio de...

ler mais

Do que somos capazes pra tirar uma criança do celular

Total compaixão pelo pai que apagou duas cidades inteiras na França pra tirar seus filhos da frente do celular. É uma notícia que está circulando na rede hoje. O pai usou um bloqueador de sinal e acabou derrubando a conexão da sua cidade e do município vizinho. Vai ter de pagar uma taxa de 450 euros e enfrentar um processo judicial que pode resultar em até seis meses de prisão. A gente acha graça, primeiro, pelo inusitado, mas depois de ler que a justificativa dada às autoridades francesas foi o desespero de ver os filhos viciados em redes sociais, principalmente depois dos confinamentos em...

ler mais

Como a Plataforma 9¾ e as escadarias mágicas de Hogwarts podem nos ajudar a entender desinformação?

Eu gosto muito de pensar no mundo digital através de metáforas espaciais. Acho que refletir sobre o espaço digital nos ajuda a pensar pralém de mídias e práticas já existentes. O espaço digital não é apenas o que aparece no google, ou a timeline do instagram, ou os links que chegam em nossos grupos de whatsapp. Não é apenas cada uma dessas coisas, mas, ao mesmo tempo, é uma somatória de todas elas, dos fluxos comunicacionais que se estabelecem e, quem sabe, de espaços vazios que ainda podem ser ocupados a partir de outras lógicas. Mas, bom, abstrações à parte, como uma boa adolescente dos...

ler mais

Dois anos de pandemia: falta de dados, ataque hacker e desinformação oficial

Estamos às vésperas de completar dois anos de enfrentamento à Covid-19 - a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia oficialmente em 11 de março de 2020 - e não há qualquer sombra de certeza sobre quando isso vai terminar. O que também não tem fim desde o início da transmissão global do novo coronavírus e suas variantes é a penumbra de informação sobre a doença no Brasil. Faltam dados importantes para o controle epidemiológico, hackers penetraram o sistema e até fraudaram registros mais de uma vez, sem contar a “desinformação oficial” promovida por autoridades, inclusive em...

ler mais

Qual a origem e por que o jornalismo de dados e a transparência são importantes

O jornalismo é uma prática social assentada sobre a realidade. Investiga os acontecimentos de interesse público para acessar o que chamamos de verdade verificável sobre fatos ainda em desenvolvimento. Esses fatos são aferidos por meio de técnicas de apuração, isto é, quando o repórter faz pesquisas em documentos e bases de dados e entrevista autoridades e especialistas sobre um tema. Ao fazer essa mediação entre os acontecimentos e o público, o jornalista reconstitui o fato digno de nota, fazendo com que a notícia ofereça um relato ancorado na realidade.  O Jornalismo Guiado por Dados - ou...

ler mais

Comunicação ambiental como estratégia para além dos “aniversários das tragédias”

No Brasil República não houve sequer um governo – ditatorial ou democrático - onde a defesa do meio ambiente tenha se sobreposto ou, ao menos, balizado as diretrizes das políticas econômicas ou de desenvolvimento. Em Minas Gerais, tomando por base o recorte do século 21, pode-se afirmar que os seis governadores de Estado deste período, independentemente de suas colorações partidárias, estiveram a serviço do modelo de mineração adotado no país. Em grau maior ou menor, mas sempre com maioria na Assembleia Legislativa mineira, cada um deles contribuiu de forma institucionalizada para a...

ler mais

Informação para todos ou só para quem pode pagar?

Informação é a principal ferramenta para o combate à desinformação. Desde que a imprensa foi criada por Gutenberg, a informação esteve muito associada à elite intelectual que tinha como acessá-la. A internet chegou com a promessa de democratizar o acesso à informação e dar voz a quem não era ouvido. Essa promessa se concretizou de forma diferente do imaginado. A internet permitiu a chegada das redes sociais e plataformas, que também deram vozes para pessoas mal intencionadas que passaram a disseminar informações falsas ou de qualidade duvidosa. A informação passou a ficar disponível nessas...

ler mais

Conteúdo Gerado pelo Usuário: ainda vale falar sobre melhores práticas?

Verificar, verificar, verificar. Prática que está na veia de todo o jornalista e que deveria ser essencial na publicação de toda e qualquer informação. Mas se as mídias sociais nos ensinaram uma coisa é que a velocidade no compartilhamento e transmissão de notícias tornou relativo o apreço à veracidade de uma informação. Começamos 2021 cercados por fake news sobre o coronavírus e as campanhas de vacinação. Você sabia que as vacinas contêm microchips? Que elas alteram o seu DNA? Que elas que estão causando as novas variantes da doença? Estas foram apenas algumas teorias de conspiração sobre...

ler mais

Não olhe para Trump e Bolsonaro

O filme “Não olhe pra cima” por não falar diretamente sobre fake news e sobre a extrema direita é mais contundente ao mostrar, justamente, que a desinformação está ligada ao atual funcionamento do capitalismo digital, indo além de tais problemas   Toda sátira tem um efeito catártico, ela nos ajuda a expulsar aquilo que, para nós, não deveria fazer parte do corpo social. Nesse sentido, o afeto principal da sátira não é o riso, mas a ira. O filme “Não olhe pra cima” é uma sátira e, como tal, não possui pretensões estéticas e éticas muito elevadas, tampouco melancólicas. Vi muita gente...

ler mais

A desinformação em 2021 (e algumas previsões pra 2022)

Se 2020 foi o ano em que a Organização Mundial de Saúde declarou que vivíamos uma infodemia por conta das fake news relacionadas à Covid-19, 2021 foi o ano de aprofundar a busca por soluções. Denúncias confirmaram a gravidade da inação do Facebook em relação a comportamentos abusivos. Projetos de lei na União Europeia e no Reino Unido avançaram. A CPI da Pandemia no Senado Federal demonstrou a existência de uma organização de criação, divulgação e financiamento de fake news, com consequências trágicas. Na Câmara, avançou o debate da lei de fake news. O Tribunal Superior Eleitoral cassou o...

ler mais

Educação digital: pacto coletivo ou mais uma pro pacote da sobrecarga materna?

Na última semana meu filho de 8 anos me jurou de pés juntos que o Godzilla é sim um bicho típico da fauna japonesa e que um amigo havia confirmado essa informação na internet. Numa outra ocasião, ele me pediu para comprar uma pista de carrinho que disse ter visto numa propaganda e, pelo modo como me contou, parecia que o carrinho, na tal pista, dava um duplo twist carpado, caía na boca de um tubarão que, imediatamente, começava a tocar a icônica trilha do filme do Spielberg. Aproveitamos o gancho e conversamos sobre propaganda enganosa; dei textão sobre publicidade infantil, fake news e...

ler mais

Plataformas devem pagar pelo jornalismo que nelas circula?

É impossível tentar entender fenômenos contemporâneos da comunicação sem, primeiro, atentar-se para o atual estágio do capitalismo. Para o escritor e professor Muniz Sodré, em seu último livro Sociedade Incivil, vivemos a financeirização do mundo. As mudanças colossais do sistema se referem ao fato de que a “tecnologia e a tal economia de dados se tornaram o centro do capitalismo”, como reflete o professor Eugênio Bucci em seu  Superindústria do Imaginário.  De fato, as maiores empresas do mundo são de tecnologia, reafirmando a frase que já ficou famosa, de que os dados são o novo petróleo....

ler mais

Como falar sobre fake news para a multidão

Neste dezembro em que completa um ano da experiência de Covid em família que, por caminhos tortos, acabou me trazendo ao *desinformante, é inevitável voltar aos sentimentos de medo e ansiedade, mas também voltar a minha inquietação sobre como comunicar desinformação a cada uma das pessoas e também para a multidão. Me lembra o colega querido de jornal, Danilo Jorge, que dizia ter pouca ambição no jornalismo: “Quero apenas abalar os pilares da república”, brincava. Acabou virando pesquisador visitante do IPEA. Nos safamos do vírus, eu, meu pai, mãe, irmã. Mais de 600 mil não tiveram a mesma...

ler mais

Falta de acessibilidade e desinformação: um problema que ninguém vê

As pautas da diversidade e da inclusão estão entre as mais importantes do jornalismo atual. Além de produzir mais conteúdo sobre o tema, a indústria jornalística nacional parece estar se esforçando em trazer para o debate, e também para suas práticas e postos de trabalho, representantes de grupos sociais minoritários ou maiorias historicamente sub representadas. Não é raro encontrar programas de promoção da diversidade no jornalismo e um debate muito necessário sobre como incluir as pessoas e as pautas desses grupos (mulheres, população LGBTQIA+, negras e negros e indígenas, entre outros)...

ler mais

Transfobia e desinformação: a legitimação do ódio

O contexto histórico atual é demarcado pela disputa política, tendo como centralidade o realinhamento do neoliberalismo no Brasil e na América Latina. Esse cenário se configura também pela negação e retirada dos direitos sociais da classe trabalhadora, principalmente dos grupos em maior vulnerabilidade social como a população de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Intersexuais e demais expressões das sexualidades e identidades de gênero (LGBTI+), em especial, as travestis e transexuais que sofrem maior marginalidade e violência na sociedade. Enfileirado a isso, se tem um...

ler mais

A desinformação também é fruto da aceleração social?

Talvez você não chegue ao final desse texto, afinal, ele tem mais que os 280 caracteres que um tweet permite. Ele também tem um tempo médio de leitura de cinco minutos, o que já é mais que os dois minutos e meio indicados para as músicas atuais, e, infelizmente, não tem como você acelerar ele para 1.5x ou 2x, como você pode fazer nos áudios de WhatsApp ou vídeos no YouTube. Mas, mesmo assim, me arrisco a escrevê-lo porque precisamos parar. Precisamos ter tempo para parar, para refletir e questionar. Necessitamos desacelerar para nos informarmos melhor. É fato que vivemos mais acelerados que...

ler mais

Mundo vê dois Brasis na COP26

Há dois Brasis em Glasgow, na Escócia, participando da 26a Conferência das Nações Unidas para a Mudança Climática, COP26. Dois países contrapostos. Duas visões de mundo confrontadas. Dois projetos radicalmente distintos para a inserção do Brasil na geopolítica do século XXI. Um é o Brasil que deu errado: o país cabisbaixo e envergonhado, sem qualquer credibilidade nas rodadas de negociação que têm sido levadas a cabo e que tem em Joaquim Leite, o Ministro do Meio Ambiente do Governo Bolsonaro, o chefe de sua delegação.  O outro é o Brasil da sociedade civil organizada: o país de Txai Suruí,...

ler mais

A desinformação no olho do furacão político brasileiro

Pelo menos cinco fatos da última quinzena de outubro evidenciaram como o tema da desinformação está no epicentro do debate político nacional. Ao mesmo tempo, mostraram a dificuldade para se enfrentar o tema na dimensão que ele tem. Os fatos foram os seguintes: - por seis votos a um, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou o mandato do deputado estadual Fernando Francischini, do Paraná. Foi a primeira vez que um parlamentar teve mandato cassado por difusão de notícias falsas. Ele foi cassado por ter feito um live afirmando que as urnas eletrônicas eram fraudadas para impedir a vitória de...

ler mais

Desinformação produz delírio coletivo e polarizado

A desinformação, mais que um conteúdo falso ou enganoso, é principalmente uma ação de desinformar comportamentos e percepções sobre a realidade, os sujeitos e seus direitos. Se quisermos entender melhor como a desinformação tem se tornado um elemento central no ataque aos direitos humanos, temos que entender o que ela é, como ela é disseminada, mas, principalmente, o que ela produz. Em primeiro lugar, a desinformação não é uma simples oposição, negação ou privação de informação, como o prefixo “des” da palavra poderia indicar. Informação, em seus sentidos mais comuns, designa um conteúdo,...

ler mais

Facebook: falta de transparência e uma série de erros levaram à crise atual

Nos últimos meses, o grupo Facebook Inc. viu uma enxurrada de críticas sobre suas plataformas, como Instagram, WhatsApp e o próprio Facebook. Essa crise ficou mais evidente depois de uma série de reportagens baseada em documentos internos vazados ao jornal americano Wall Street Journal, incluindo relatórios de pesquisa, discussões on-line com funcionários e rascunhos de apresentações por parte da administração. Em resumo, as reportagens mostravam em detalhes que as plataformas do grupo estão repletas de falhas que causam danos aos seus usuários. Nesses documentos, os pesquisadores da empresa...

ler mais

Influenciadores digitais são legitimados para amplificar ou suprimir discursos

As pesquisas e debates sobre desinformação no Brasil têm avançado diariamente e a limitante perspectiva da “tia do zap” como principal agente de divulgação de notícias falsas tem sido deixada de lado. No lugar, evidenciou-se o fato de que a desinformação é articulada por grupos com objetivos claros de persuasão da opinião pública. A orquestração parte, sobretudo, de grupos hiperpartidários e circula dentro de “bolhas desinformativas”. Durante a pandemia da Covid-19, por exemplo, tanto o The New York Times quanto a A Pública denunciaram esquemas de desinformação contratada em que...

ler mais

Publicar e remover rápido pode ser estratégia para desinformar

O argumento de que o ambiente digital torna os processos sociais mais voláteis funciona para explicar muitos fenômenos, da emergência de mobilizações sociais à eleição de governantes incidentais, como defende Sérgio Abranches (2020). Existe um elemento volátil que é mesmo inerente à velocidade da própria rede, mas precisamos analisar também possíveis usos dessa característica. Por mais contraditório que possa parecer, a volatilidade de conteúdos digitais pode ser não apenas uma característica, mas também uma estratégia de perenização desses conteúdos. Trata-se de uma estratégia que se...

ler mais

Quando o jornalismo apressado leva à desconfiança

No início de julho, o jornal Folha de S. Paulo publicou uma reportagem de dados que chamava a atenção da população para a aplicação de vacinas vencidas. O texto indicava que cerca de 26 mil doses do imunizante da AstraZeneca estavam fora da validade quando foram aplicadas em mais de 1.500 municípios. A reportagem, a mais lida da história do jornal, segundo o ombudsman da Folha, baseava-se em uma análise da base de dados publicada pelo Ministério da Saúde. Os dados, contudo, trouxeram mais desinformação que esclarecimento. A reportagem gerou um grande burburinho nas redes sociais e nos...

ler mais

Fake news como legitimação do racismo: o caso Marielle Franco

Atingida por quatro tiros na cabeça, a vereadora carioca Marielle Franco foi brutalmente assassinada em 14 de março de 2018 em uma emboscada ainda sem solução. Imediatamente após a sua morte física tentaram lhe tirar a memória e a honra com uma série de publicações falsas criadas com o intuito de diminuir a comoção pública pelo seu assassinato. Os conteúdos criados com ataques diretos a sua moral até hoje afetam seus familiares, que seguem recebendo uma série de agressões verbais e até físicas que têm como base argumentos falsos minuciosamente construídos no decorrer dos últimos três anos. A...

ler mais